Santander adota compensação de horas da Copa

O Santander mais uma vez mostra total intransigência com os funcionários. O banco informou que os bancários terão de compensar as horas dos dias do jogo do Brasil na Copa do Mundo, que acontece entre 20 de novembro e 18 de dezembro.

Até o momento, apenas o Santander enviou comunicado informando sobre a obrigatoriedade da compensação. A COE (Comissão de Organização de Empresa) repudia a imposição do banco e cobra que a direção reveja a medida. 

Vale destacar que durante os jogos há uma redução considerável do fluxo de pessoas no comércio e nas ruas. Portanto, manter as unidades funcionando colocaria em risco a segurança dos trabalhadores e dos clientes. O mesmo vale para o funcionário que terá de trabalhar até mais tarde para compensar as horas.

A própria Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) recomenda a suspensão do serviço durante os jogos do Brasil e em momento algum cita a necessidade de compensação das horas. O Santander, no entanto, ignorou e dá um prazo de seis meses. Caso o funcionário não compense no período estabelecido terá desconto no salário. 

A empresa ainda destaca que é possível realizar até 1h50 de extras por dia, até 4 vezes na semana. Enquanto submete os funcionários a sobrecarga de trabalho, metas abusivas e assédio moral, o Santander alavanca a lucratividade que alcançou a marca de R$ 11,211 bilhões entre janeiro e setembro deste ano. A COE repudia a medida e está em ação para que as horas sejam abonadas. 

Fonte: Movimento Sindical