Proposta de reajuste: 10% no salário; 14% no vale

Uma das mais fortes greves da categoria bancária conseguiu dobrar os bancos.  Os banqueiros queriam impor um reajuste abaixo da inflação e a nossa luta fez com que o índice dobrasse, saindo de 5,5% para 10%.
Assim, na sexta-feira 23 a Fenaban fez sua proposta final: reajuste de 10% para salários, piso, PLR, e de 14% para os vales alimentação e refeição e para a 13ª cesta.
Era o 18º dia de greve e até então todas as propostas apresentadas estavam abaixo da inflação e impunham perdas aos trabalhadores: 5,5% mais abono de R$ 2.500 em 25 de setembro; depois 7,5% sem abono e 8,75% na última semana, para finalmente chegar aos 10% diante da inflação de 9,88% (INPC).
Dias parados – Os bancos também tentaram fazer com que os trabalhadores pagassem ou compensassem todos os dias parados durante a greve. Os representantes do bancairos não aceitaram e isso fez com que as negociações se arrastassem por toda a sexta. A rodada foi interrompida por volta de 23h30 e só no sábado à tarde os bancos cederam.
Assim, caso a proposta seja aceita, a negociação garantiu que não haverá desconto dos dias e com anistia de 63% dos dias parados para quem faz jornada de seis horas e de 72% dos dias para quem faz oito horas. A compensação, seja para quem fez os 14 dias úteis de greve ou menos será de, no máximo, uma hora por dia, entre 4 ou 5 de novembro (quando o acordo, caso aprovado, será assinado) até 15 de dezembro. De acordo com a Fenaban, essa proposta só vale até as assembleias de segunda-feira 26.
Saúde – A Fenaban apresentou um termo de entendimento a ser assinado entre os seis maiores bancos e o movimento sindical bancário com mesas específicas para tratar de ajustes na gestão das instituições de modo a reduzir as causas de adoecimento. As comissões de empresa acompanharão para garantir a melhoria das condições de trabalho.
Vitória da luta – Esse resultado foi alcançado graças à pressão dos trabalhadores, que não podem ser punidos pelo seu direito à mobilização.  A proposta apresentada representa mais um ano em que os bancários conseguirão garantir seu poder de compra. Estamos num ano com várias categorias fechando acordos com perda salarial. Diante desse cenário a luta dos bancários representa uma vitória contra os bancos que queriam impor um reajuste abaixo da inflação.
Com esse índice, em 12 anos a categoria vai acumular 20,83% de ganho real nos salários e 42,3% nos pisos. Em função disso, os bancos tentaram impor perdas à categoria e foram derrotados pela forte mobilização dos trabalhadores. Os bancários que lutaram estão de parabéns. Todo o resultado veio da força da nossa luta, da nossa resistência e de nossa unidade naciona..
Públicos – A negociação específica do Banco do Brasil ocorreu no sábado, logo após terminada a da Fenaban. A da Caixa Federal foi no domingo.
Fonte : Movimento Sindical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.