Movimento Sindical pede que governo Dilma ajude a proteger os empregos no HSBC

Representantes dos trabalhadores participaram de reunião em BrasíliaDirigentes sinbdicais reunem com governo sobre HSBC.

Preocupados com a situação dos mais de 21 mil trabalhadores do HSBC no Brasil, o movimento sindical se reuniu com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, e a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), nesta terça-feira (23), no Palácio do Planalto, em Brasília, e solicitaram apoio do governo federal na proteção dos empregos.

Na reunião, os representantes dos trabalhadores entregaram um documento ao ministro Miguel Rossetto, o qual destaca os prejuízos que um processo de demissão em massa pode trazer para os trabalhadores e também para a economia do País.

Só no Estado do Paraná são sete mil funcionários. É incompreensível que, num mercado tão rentável para os bancos, um deles, subitamente, resolva sair do Brasil.

Os dirigentes sindicais também ressaltaram que o objetivo foi levar a preocupação e os anseios dos trabalhadores ao governo federal e refirmaram a necessidade de uma nova conferência nacional sobre o sistema financeiro. É preciso retomar a discussão sobre o papel social dos bancos e regulamentar o artigo 92 da Constituição, que dispõe sobre o funcionamento do sistema financeiro.

Resultados

O ministro Miguel Rossetto se comprometeu a marcar uma reunião com o HSBC e solicitar informações com a matriz no banco, na Inglaterra. A senadora Gleisi Hoffmann também afirmou que buscará o diálogo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Banco Central para discutir o processo de venda do HSBC.

O movimento sindical também voltará a se encontrar com a direção do banco, em reunião quinzenal, conforme negociado no último encontro, em São Paulo, no início do mês.

Fonte: Movimento Sindical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.