Justiça de MG poupa Azeredo em Ação do Mensalão Tucano

Marcos Valerio e Adriano MesquitaJuiz da 5ª Vara da Fazenda Pública Adriano de Mesquita Carneiro abriu ação contra Marcos Valério, o ex-senador Clésio Andrade e outros oito investigados no escândalo do mensalão tucano de Minas Gerais, mas rejeitou denúncia contra o ex-governador e ex-presidente do PSDB Eduardo Azeredo, foco do escândalo de desvio de dinheiro público de estatais mineiras em sua campanha à reeleição em 1998; na decisão, a Justiça mineira também bloqueou R$ 25,6 milhões de réus envolvidos no esquema

O juiz da 5.ª Vara da Fazenda Pública Adriano de Mesquita Carneiro abriu uma ação civil pública contra o publicitário Marcos Valério – já condenado a 39 anos de prisão por envolvimento no mensalão do PT -, o ex-senador Clésio Andrade e outros oito investigados no mensalão tucano de Minas Gerais.

O magistrado rejeitou denúncia contra o ex-governador e ex-presidente do PSDB Eduardo Azeredo, foco do escândalo de desvio de dinheiro público de estatais mineiras em sua campanha à reeleição em 1998. Azeredo foi condenado em 2015 em primeira instância a 20 anos e 10 meses de reclusão e a pagar uma multa de 1.904 salários mínimos.

Na ação aberta contra Valério e Clésio Andrade, a Justiça mineira também determinou a indisponibilidade de até R$ 25,6 milhões de réus envolvidos no escândalo do mensalão tucano em Minas Gerais.

“Recebo a inicial em relação aos réus Eduardo Pereira Guedes Neto; José Cláudio Pinto de Resende; Ruy José Vianna Lage; Cristiano de Mello Paz; Marcos Valério Fernandes de Souza; Ramom Hollerbach Cardoso; SMP&B Comunicação LTDA.; Solimões Publicidade LTDA; Clésio Soares de Andrade e Holding BrasilL S.A. e determino a indisponibilidade dos bens destes réus até o montante de R$ 25.689.212,03.Rejeito a inicial em relação ao réu Eduardo Brandão de Azeredo”, disse o juiz em sua decisão.

Fonte: Brasil 247

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.