Brasil já paga taxa de juros de país sem grau de investimento

O BraSelic-grandejpgsil ainda não perdeu o chamado grau de investimento, espécie de selo de bom pagador da dívida das agências de risco, mas os juros da dívida brasileira negociados no exterior já são compatíveis com o de países como a Rússia, considerada uma opção especulativa de aplicação por ter um alto risco de inadimplência.

Para um prazo de dez anos, os juros brasileiros negociados nesta segunda (20) estavam em 4,889% ao ano–acima dos 4,877% da Rússia, país com avaliação “Ba1” da Moody´s, a primeira nota especulativa da agência.

Hoje, o Brasil tem avaliação “Baa2”, a segunda nota do grau de investimento da Moodys (veja ao lado).Gráfico - Grau de Investimento - Crédito Caro

As taxas subiram nos últimos dias, mas estão abaixo dos 5,107% de 17 de março, logo após a série de protestos contra o governo Dilma.

A agência está concluindo a revisão da avaliação do país, cujo rating tem perspectiva negativa, sugerindo que deverá ser rebaixado para “Baa3” –nota da Turquia, que paga juros de 4,682% para a dívida de dez anos.

Mesmo se for rebaixado pela Moodys, no entanto, o Brasil seguirá com grau de investimento, porém, no primeiro degrau. Será a mesma posição que tem nas agências Standard & Poor’s e Fitch.

O rebaixamento brasileiro pela Moody’s é dado como certo pelos investidores.

A dúvida é se a agência vai manter a perspectiva negativa. Se isso ocorrer, será sinal de um possível novo rebaixamento e, dessa vez, perdendo o grau de investimento.

Nos negócios com CDS (“credit default swap”, em inglês), um “seguro” para cobrir eventuais calotes, a situação do Brasil é um pouco melhor. O CDS de cinco anos está em 275 pontos, abaixo dos 314 da Rússia, mas acima de Turquia (217) e Índia (175).

O investidor que compra proteção para um título do Brasil de US$ 10 milhões paga US$ 275 mil por ano ao vendedor do CDS. Em julho de 2014, pagava US$ 140 mil.

Fonte: Folha.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.