BNDES registra lucro líquido de R$ 9,6 bilhões no 3º trimestre de 2022

Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) registrou um lucro líquido de R$ 9,6 bilhões no terceiro trimestre de 2022. Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira (10), em coletiva na sede do banco, no Rio de Janeiro.

Segundo o Banco, o resultado representa um aumento de 76% na comparação com o mesmo período de 2021. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o BNDES registra um lucro de R$ 34,2 bilhões. Isso representa um aumento de 29,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

“O desempenho foi influenciado, principalmente, por receita com dividendos/JCP, R$ 7,0 bilhões, destacando Petrobras.”, apontou o Banco. O BNDES possui uma carteira de investimentos com diversos ativos, com a Petrobras entre eles.

O ativo do Sistema BNDES totalizou R$ 718,9 bilhões em setembro de 2022, uma redução de 2% em relação ao trimestre anterior, finalizado em junho. A baixa foi impactada principalmente pelos pagamentos ao Tesouro Nacional, de R$ 12,6 bilhões, sendo R$ 10 bilhões de liquidações antecipadas e R$ 2,6 bilhões de pagamentos ordinários.

Durante a coletiva, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, foi perguntado sobre as devoluções do Banco ao Tesouro Nacional. Segundo o presidente, o cronograma montado pelo Banco foi “conservador”.

“A gente colocou R$ 45 bilhões esse ano e R$ 24 bilhões ano que vem para que isso não afetasse em nada o planejamento estratégico do banco. Tudo que a gente mostrou aqui de carteira futura, de expectativas, está mantido nessa premissa. Se, ao longo do ano que vem, acontecer algum evento de liquidez que surpreenda positivamente, o banco terá que antecipar porque é a premissa do TCU que a gente não faça uso dos recursos irregulares.”, afirmou Montezano.

Transição de governo

O presidente Gustavo Montezano foi perguntado sobre o processo de transição do governo eleito, e afirmou que o Banco foi notificado pelo Ministério da Economia. Segundo Montezano, o time interno já está preparado para a transição.

“No que depender da gente, da diretoria, conselho, corpo técnico, a gente está totalmente à disposição e queremos ser o mais colaborativo possível para que a próxima gestão do banco tenha todas as ferramentas necessárias para dar continuidade no que julgarem adequado.”, destacou.

Sobre continuar no Banco em um futuro governo, o presidente afirmou que o “ciclo no banco se encerra agora”, e completou afirmando que tem “muito orgulho” do que deixou de legado.

“Se você volta para 2019, a gente tinha um banco com um questionamento reputacional, tinha questionamento estratégico de existência e um certo contratempo gerencial por ter muita troca de gestão em curto prazo.”, disse Montezano. O presidente disse que pretende fazer a transição “da melhor forma possível, no nível que o BNDES merece.”

Fonte: CNN