Bancários cruzam os braços contra o desrespeito dos patrões

Bancários entram em greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (6).Greve - grande

De acordo com as assembleias ocorridas no último dia 1, os bancários de todo país entram em greve hoje por tempo indeterminado. A paralisação foi decidida depois de 45 dias de negociações entre representantes dos trabalhadores e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os bancários querem correção dos salários de aproximadamente, 16% (incluindo reposição da inflação e 5% de ganho real), plano de carreira e piso salarial de R$ 3.299, enquanto os patrões oferecem 5,5% de reajuste salarial e abono de R$ 2,5 mil, não incorporado aos vencimentos. A avaliação geral é que os bancos sequer cobriram a inflação acumulada no período de 9,88%.,

O presidente da confederação representativa dos bancários e coordenador da Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação, Lourenço Ferreira do Prado esteve em São Paulo, nesta segunda-feira (05/10) em uma última tentativa de reabertura das negociações, mas a Fenaban reafirmou a proposta de 5,5% de reajuste.

A paralisação tem, também por finalidade, o manifesto com o alto número de demissões na categoria.

No primeiro dia de greve, é esperada a adesão de 70% ao movimento. A greve deve atingir tanto bancos públicos quanto privados. Na base do Sindicato dos Bancários de Ponte Nova e Região, neste dia, trabalhadores dos bancos de Ponte Nova e Viçosa (100%), do Banco do Brasil de Teixeiras, da Caixa de Raul Soares e da Caixa de Rio Casca estão parados, esperando uma atitude de respeito e consideração dos banqueiros.

Força Bancários! É assim mesmo, com determinação e união chegaremos ao nosso objetivo.

Fonte: SEEBPN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.