Bancários cobram avanços em segurança

Representantes dos trabalhadores reivindicam da Fenaban extensão de apoio psicológico a familiares de bancários vítimas de sequestro ou extorsão; também querem o fim demissão desses funcionários como forma de punição.Segurança - Assalto

Os representantes dos trabalhadores cobraram da Fenaban a extensão do atendimento psicológico e segurança aos familiares de bancários vítimas de sequestro, ou extorsão mediante sequestro, com a finalidade de roubo a banco. A reivindicação foi feita na última reunião sobre segurança bancária entre o movimento sindical e a federação dos bancos antes do início da Campanha Nacional.

Os bancos têm que valorizar a vida e a saúde dos seus funcionários e de seus familiares. Muitos funcionários vítimas dessa modalidade ainda acabam demitidos. Por isso outra reivindicação cobrada na mesa é que os bancos abandonem esse tipo de penalização. A Fenaban alegou que irá negociar ambas as reivindicações durante a Campanha Nacional.

Na reunião, os representantes dos bancos apresentaram dados sobre roubos a agências e postos de atendimento no primeiro semestre. Segundo eles, houve apenas 212 ações criminosas contra estabelecimentos financeiros.

Falta de informações

Os dados não foram debatidos com os representantes dos trabalhadores, que criticaram a falta de informações complementares. A Fenaban não informou, por exemplo, os locais de maior incidência de violência.

A Fenaban não contabiliza ações como as ‘saidinhas’, que começam dentro das agências graças a falta de vontade dos bancos em implantar nas áreas dos caixas automáticos medidas de segurança propostas pelo movimento sindical, como biombos e divisórias que impeçam a visão do tipo de transação que está sendo feito nas máquinas.

Fonte: Seeb SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.