Aniversário da Caixa sem festa

Data da fundação do banco público é marcada por protesto pedindo mais contratações, melhorias na infraestrutura das unidades e contra o PLS 555.

No dia que a Caixa Econômica completa 155 anos, nesta terça-feira 12, os empregados do banco têm poucos motivos para comemorar. A instituição sofre risco de privatização devido ao Projeto de Lei do Senado 555 (PLS 555/2015), faltam trabalhadores em diversos setores e problemas estruturais afetam o dia a dia de milhares de bancários nas agências.

Para mudar essa realidade o movimento sindical aproveitou a data para realizar manifestações em diversas partes do país.

Protestos – O aniversário da Caixa foi marcado por protestos em todo o país, sendo o principal deles em frente à matriz da instituição financeira, em Brasília, com a participação de representantes do movimento sindical.

Um dos objetivos é chamar atenção sobre o risco de privatização representado pelo Projeto de Lei do Senado 555 (PLS 555/2015), o chamado Estatuto das Estatais, que obriga empresas 100% públicas, como Caixa, BNDES e Correios, a se tornarem sociedades anônimas, além de cobrar mais contratações e melhorias na infraestrutura.

O Sindicato de Ponte Nova e Região parabeniza a Caixa Econômica Federal que, desde a sua fundação em 1861, a empresa se faz presente na vida e no cotidiano de milhões de brasileiros, cuidando das necessidades básicas da população, através de políticas públicas e sociais. Patrimônio do povo brasileiro, a empresa tem demonstrado arrojo no cumprimento de seu papel social e, hoje, é uma das maiores empresas do país.

A história da Caixa é resultado do trabalho árduo e intenso de seus empregados, a quem o Sindicato rende homenagens. Nós temos um grande orgulho desses guerreiros, que não medem esforços, empenho e dedicação para honrar o nome desse banco que trabalham, apesar dos ataques liberais que a empresa sofre. Parabéns!

Fonte: SEEB Ponte Nova com informações do Movimento Sindical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.