07/04/20 Solidariedade

UNI Finanças destaca atuação dos sindicatos na proteção dos trabalhadores do setor

Em carta, entidade ressalta dedicação dos bancários na linha de frente, garantindo serviços financeiros essenciais à população durante a pandemia do coronavírus e reforça que momento é de solidariedade: governos devem atuar junto aos sindicatos para proteger trabalhadores, empresas e economia

A UNI Finanças Mundial, braço da UNI Global Union (sindicato global) para os trabalhadores do setor financeiro, enviou carta de solidariedade a todos os seus 237 sindicatos filiados em todo o mundo destacando a importância da atuação dessas entidades na garantia da saúde e segurança dos trabalhadores do setor neste momento de crise por que passa o mundo, diante da pandemia do coronavírus. A UNI Finanças representa mais de 3 milhões de empregados do setor financeiro em todos os continentes.

O documento, assinado pela presidenta da UNI Finanças, a brasileira Rita Berlofa, diretora executiva do Sindicato dos Bancários de São Paulo – que está em seu segundo mandato à frente da entidade internacional -, e pelo Chefe de Departamento da UNI Finanças, o italiano Angelo Di Cristo, ressalta a dedicação dos milhares de trabalhadores do setor que ainda estão na linha de frente, garantindo, em meio à pandemia, serviços financeiros essenciais à população em todos os países.

“Estamos imensamente orgulhosos da dedicação que os trabalhadores do setor financeiro mundial têm demonstrado e continuam a demonstrar durante esta emergência, com muitos ainda na linha de frente, garantindo que o acesso público aos serviços financeiros essenciais, continue”, diz a carta.

Reforça ainda que os sindicatos estão sendo fundamentais neste momento de emergência, agindo na defesa dos empregos, dos direitos e de condições de trabalho seguras para os empregados do setor.

E afirma que o momento deve ser de cooperação e diálogo entre empregados e patrões, a fim de garantir os melhores acordos e soluções. “Somente através de um diálogo social genuíno e construtivo e da negociação coletiva poderemos garantir os seus direitos, empregos, saúde e segurança. Não vamos tolerar que o empregador tente aproveitar esta trágica situação para reestruturar e cortar postos de trabalho.”

Salienta ainda a importância da atuação dos governos de todo o mundo. “O coronavírus não respeita fronteiras e os nossos desafios exigem soluções globais. Os governos devem trabalhar em conjunto com os sindicatos a nível nacional para adotar medidas fortes e aplicáveis para proteger os trabalhadores, as empresas e a economia real, durante a crise e no período que se segue.”

Leia a carta na íntegra.

 

Anexo Tamanho
 uni_financas_carta.pdf 305.97 KB

Fonte: SPBancarios

Email this to someone

Tags:, ,