13/07/17 Protesto

Nota de repúdio

Infelizmente, o Senado Federal se rendeu ao governo Temer e, de maneira irresponsável, desnecessária e inoportuna aprovou na noite da ultima quarta (11/07) a Reforma Trabalhista. Uma legislação injusta e cruel, porque agride o trabalhador e atenta contra a nossa história de conquistas, durante os 74 anos de vida da Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT. Essa iniciativa retira as garantias asseguradas pela CLT, promovendo APENAS a precarização das relações de trabalho e um enorme retrocesso social.

É lamentável! Um grande retrocesso para o Brasil, principalmente do ponto de vista da democracia, já que nem mesmo houve amplo debate com a sociedade. E esta reforma nunca foi solicitada nem querida pelo movimento sindical dos trabalhadores. Prevaleceu a vontade dos poderosos, dos empresários, dos banqueiros.  A população de maneira geral, a classe trabalhadora, sai mais uma vez perdendo!

A maioria da população é contra a reforma trabalhista. Mas a vontade do povo, que tem poder de voto, não importa para deputados e senadores. É preciso pagar a conta da campanha eleitoral, financiada por grandes empresas. Para isso, Executivo e Legislativo impõem perdas irreparáveis ao trabalhador que agora tem a obrigação de dar a resposta, nas urnas.

É fundamental saber como se posicionaram deputados e senadores para, nas eleições de 2018, tirar-lhes o mandato. Os três senadores mineiros ( Aécio Neves, Antonio Anastasia e Zezé Perrella) votaram contra o desejo da população, ou seja, A Favor da reforma trabalhista.

Não dá para assistir o Congresso Nacional acabar com o país. Obrigar o povo a pagar por uma conta que não é dele. A reação das ruas foi grande, mas não suficiente. A urna, portanto, é fundamental.

Mas não concordamos com esta reforma e não ficaremos parados, mesmo num cenário em que a correção não nos favorece, no Congresso Nacional. O Sindicato dos Bancários de Ponte Nova e Região,  juntamente com outras entidades sindicais, vai buscar outras alternativas para reverter esta mudança acachapante da nossa CLT e com isso continuarmos no caminho de normas que promovam segurança e melhorias para a classe trabalhadora, em especial para os bancários e securitários brasileiros!

A luta continua. Os trabalhadores precisam guardar os nomes dos atuais deputados e  senadores que votaram pela retirada de direitos ( terceirização, reforma trabalhista e reforma da previdência )  para que eles não  sejam reeleitos.

Nunca haverá democracia no Brasil enquanto o ator político mais influente for uma concessão pública de comunicação.

Sindicato dos Bancários de Ponte Nova e Região

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPrint this page
Email this to someone

Tags:, , ,