15/05/18 Bancos

Itaú reduz juro do cheque especial, mas taxa ainda é de mais de 285% ao ano

O Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira (14) que baixou a taxa de juros do cheque especial, o dinheiro extra que os bancos emprestam aos clientes quando o saldo da conta é insuficiente. Apesar da redução, os juros do cheque especial continuam altos. A taxa média passa de 319,84% ao ano (12,7% ao mês) para 285,44% ao ano (11,9% ao mês).

Para efeito de comparação, a taxa básica de juros (Selic) está em seu menor nível na história, a 6,5% ao ano.

Os novos valores já estão em vigor, segundo o banco.

A decisão do Itaú vem após a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) anunciar, em abril, que pretende adotar novas regras para o cheque especial a partir de julho. Os bancos terão de oferecer uma alternativa mais barata para parcelar a dívida quando o cliente usar mais de 15% do limite disponível no cheque especial por 30 dias.

A Febraban diz que cada banco vai definir qual será a alternativa a ser oferecida, que poderá ser aceita ou não pelo cliente. A entidade citou como uma das opções o crédito pessoal, que tinha juros de 122,8% ao ano em março, segundo o Banco Central.

Cheque especial para situações de emergência 
O cheque especial é uma das formas de os bancos emprestarem às famílias. Com base nas informações do cliente e de sua movimentação financeira, é estipulado um limite de crédito. A pessoa pode gastar mais do que tem na conta, sem precisar recorrer ao banco, já que a linha é pré-aprovada.

Como não oferece nenhum tipo de garantia ao banco, as taxas de juros são altas.

O cheque especial deve ser usado em situações emergenciais e por pouco tempo; com a mudança, o objetivo é evitar que seja usado como crédito de médio e longo prazo, segundo os bancos.

Fonte: UOL

Email this to someone

Tags:, ,