30/07/20 Saúde Caixa

Desconto do Saúde Caixa pode crescer 378%

As estimativas não são boas para os empregados da Caixa caso as intenções do banco sejam confirmadas em relação às formas de custeio do Saúde Caixa. Se concretizarem, muitos bancários contarão exclusivamente com o SUS ou terão de contratar planos de saúde mais baratos e com cobertura menor no mercado em menos de quatro anos.

Pelos dados da consultoria Vesting, contratada pela Caixa, o desconto médio mensal do Saúde Caixa no contracheque do usuário poderá subir de R$ 423,00 para R$ 1.600,00 em 2024. Um aumento de 378%.

Em um cenário neutro, as despesas totais da assistência médica atingirão R$ 3,9 bilhões e a participação da patrocinadora no custeio descerá dos atuais 70% para 40,4% daqui há quatro anos. Enquanto isso, os empregados teriam que arcar com 59,6% em lugar dos 30%, percentual praticado desde 2004. Em 2021, os usuários arcarão com 50,3% e a Caixa com 49,7%.

A intenção do banco é adotar cobrança diferenciada por faixa etária, nos moldes feitos pelos planos de mercado. Neste caso, os mais velhos terão dificuldade adicional. O respaldo dado pelo governo federal com a finalidade de encerrar o Saúde Caixa, como a CGPAR 23, reforça a importância da mobilização para garantir o direito dos trabalhadores ao plano.

Como a Caixa não pretende contratar novos trabalhadores, a expectativa é que o número de titulares seja reduzido a menos de 120 mil. A quantidade de usuários no Saúde Caixa deve cair de 278.262 em 2019 para 252.494 em 2024, mesmo contando com dependentes. Uma redução de 9,26%.

Fonte: Movimento Sindical

Email this to someone

Tags:, ,