29/06/18 Específica BB

BB mostra disposição para negociar, mas rejeita proposta dos bancários sobre a Cassi

Na primeira reunião de negociação específica realizada nesta sexta-feira (29) entre o Banco do Brasil e a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), a direção do BB afirmou estar disposta a negociar alguns pontos da pauta apresentados pelos trabalhadores.

Neste ano as reivindicações foram apresentadas com bastante antecedência, o que permite mais tempo para a negociação das propostas e abre a possibilidade de assinatura de um pré-acordo para manter a ultratividade da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e de manter a validade da convenção para todos os funcionários, contemplando os chamados hipersuficientes. O BB também afirmou que vai permanecer na mesa de negociação da Fenaban.

Banco não quer negociar Cassi

Com relação à Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), o banco não aceita debater o tema na mesa de negociações específicas da Campanha Nacional e rejeitou as propostas.

O movimento sindical reafirmou a proposta de revisão do custeio com manutenção da proporcionalidade contributiva, manutenção da solidariedade, manutenção da governança paritária sem voto de minerva e o direito aos novos funcionários ingressarem no plano de associados. Os representantes do banco só querem aplicar as resoluções da CGPAR 23 e por isso não aceitam a proposta da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

A resolução 23 da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União trata das diretrizes e parâmetros para o custeio das empresas estatais em relação aos benefícios de assistência à saúde aos funcionalismo públicos e está sendo questionada judicialmente. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) apresentou Projeto de Decreto Legislativo (PDC 956/2018) com o objetivo de sustar a resolução.

Mesas específicas

Para o acordo andar com mais celeridade, foi discutido em mesa nesta sexta-feira 29 o estabelecimento de mesas específicas para avançar nos debates sobre determinados temas, como segurança e saúde do trabalhador e escritórios digitais.

O banco também abriu a possibilidade de debater a questão dos funcionários incorporados de outros bancos nas questões de saúde e previdência.

Outros pontos debatidos

O sistema de pontuação por mérito para os funcionários cedidos ou requisitados para órgãos governamentais é outro ponto que o BB aceita debater.

O banco ainda disse estar disposto a debater a retomada das homologações das rescisões de contrato de trabalhos nos sindicatos, a ampliação do tempo de pagamento da Verba de Caráter Pessoal (VCP) e atualizar a tabela de Pontuação Individual do Participante (PIP) da Previ.

Por fim, o banco também estudará a regularização da situação dos funcionários que fizeram concurso específico para a área de TI que ainda não tomaram posse na área.

Fonte: Movimento Sindical

Email this to someone

Tags:, , ,